Virtual Mamoré

Virtual Mamoré

Alfinetadas: Rio vai contra todos os protocolos e quer mostrar que futebol está “vivo” em meio a pandemia

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


O futebol no Rio de Janeiro, ao menos na capital, retornou neste fim de semana como mais uma rodada do Campeonato Carioca. Em meio a uma discussão sobre o retorno, o governo do estado liberou os jogos com portões fechados. Mas aguardem: o mesmo governo está tentando a liberação de 1/3 dos estádios para receber o público, seguindo uma série de medidas.

No momento em que esse artigo é escrito (28/06/2020 21:06) o Brasil tem 1.345.254 casos confirmados de coronavírus, com 57.658 óbitos e 715.905 recuperados. O estado de RJ tem 111.298 casos da Covid-19, com 9.819 óbitos. Um número que não para de crescer.

Enquanto o futebol é levado com cautela por outros estados e até mesmo por outros países, o Rio de Janeiro sente a “obrigação” de retornar o quanto antes o seu futebol. O Flamengo é um dos principais times que lideram a retomada do futebol, que deva acontecer o quanto antes, pois devemos “saber conviver” com essa doença que não tem previsão de ir embora.

Fluminense e Botafogo foram contra o retorno do estadual. O Fogão, inclusive, estendeu uma faixa durante a partida contra a Cabofriense com os dizeres “Protocolo bom é o que respeita vidas”. Até mesmo o Twitter da equipe mostrou a indignação pelo retorno “precoce”.

Entendo que o retorno deva acontecer de modo progressivo, mas ainda não vejo um bom cenário para isso. É notório que a temporada toda, e inclusive a de 2021, está comprometida. O problema é que nada pode ser feito de qualquer maneira, sem que isso coloque as vidas das pessoas em risco. Existe uma necessidade do retorno, mas ele deve ser feito com responsabilidade.

O futebol brasileiro precisa de uma reestruturação em todos os sentidos, pois ainda sentimos os reflexos de uma desorganização. Nem mesmo a Europa voltou com toda vontade como o Rio de Janeiro. É preciso inteligência e não amadorismo. Estamos falando de vidas.

Nenhum comentário

Mais no Virtual Mamoré