Virtual Mamoré

Virtual Mamoré

OPERAÇÃO DELTA DO ESTADO COM APOIO DA PREFEITURA DE VILHENA FAZ TESTAGEM EM MASSA NA ENTRADA DO MUNICÍPIO


 Uma grande operação de testagem em massa para identificar possíveis casos da variante Delta do sars-cov-2 foi realizada neste sábado, 21 de agosto, pelo Governo de Rondônia, com apoio da Prefeitura de Vilhena, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agevisa, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. A “Operação Delta” montou posto de parada obrigatória na divisa do município com o Mato Grosso para realizar, durante todo o dia, coleta de amostras na base da PRF e no Posto Fiscal Portal da Amazônia.

“Rondônia, até o momento, não registra nenhum caso de contaminação por essa mutação do vírus da covid-19, no entanto, o estado vizinho Amazonas já tem pelo menos seis deles confirmados. Por isso, é fundamental que identifiquemos caso essa variante entre aqui, para nos prepararmos para uma possível terceira onda, conforme as autoridades de Saúde alertam”, explica o prefeito Eduardo Japonês.

Durante o sábado a Secretaria Municipal de Saúde mobilizou cerca de 60 profissionais de saúde, tendas, alimentação, Equipamentos de Proteção Individual e locomoção, enquanto o Governo do Estado disponibilizou os testes, apoio do Corpo de Bombeiros, servidores da Saúde estadual, bem como o laboratório que analisará quanto à presença do sars-cov-2, em Porto Velho, que posteriormente caso o resultado seja positivo, enviará a amostra para sequenciamento genético na Fiocruz Rondônia.

“O governador Marcos Rocha pediu que fizéssemos essas ações. A ação realizou mais de 290 testes e não houve registro de nenhum caso positivo. Vilhena, a cidade ‘Portal da Amazônia’ é a entrada terrestre do Estado e queremos identificar o quanto antes casos para já isolarmos esses pacientes”, garantiu o secretário de Estado de Saúde, Fernando Máximo.

O exame realizado foi o RT-PCR com resultados enviados para o passageiro em até 24 horas, enquanto o sequenciamento é enviado em até 15 dias após a realização da testagem. No local estiveram também o diretor-geral da Agevisa de Rondônia, coronel dos Bombeiros Gilvander Gregório e o vereador Sargento Damassa.

À imprensa, Siclinda Raasch comentou a importância do sequenciamento. “A variante Delta tem uma maneira de agir no organismo que dificulta sua identificação clínica, pois os sintomas são muito parecidos com os da gripe comum. Ela possui uma alta transmissibilidade e, desta forma, acaba ocorrendo um número elevado de óbitos”, informou a Secretaria de Saúde, Siclinda Raasch.

Os profissionais de Saúde alertaram que, com o avanço da vacinação e o número baixo de casos ativos na cidade, pode haver sensação de maior segurança. Mas, é importante que mesmo vacinados, com uma ou duas doses, os vilhenenses mantenham os cuidados, como uso correto de máscaras, álcool em gel, evitar aglomerações e distanciamento social. “A pandemia ainda não acabou. Estamos fazendo o que podemos para evitar que voltem a aumentar os casos em nossa cidade, vacinando o máximo de pessoas, mas, temos que cuidar. Quem não foi se vacinar ainda, por favor, vá a um ponto de vacinação assim que estiver disponível para você”, destacou a enfermeira e vacinadora Waleria Prado. fonte vilhena noticias

Nenhum comentário

Mais no Virtual Mamoré