Virtual Mamoré

Virtual Mamoré

População invade lixão e desenterra frango para comer em Humaitá


Segundo informações, as cinco toneladas foram apreendidas pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (ADAF), sem nota fiscal e sem refrigeração adequada para consumo. A barreira fiscal de Humaitá então solicitou à prefeitura municipal que fosse aberto uma vala no lixão para enterrar o produto. O trabalho foi feito.

No entanto, a notícia do depósito dos frangos se espalhou nas redes sociais e muita gente foi até o local e aproveitou para desenterrar a carga e usá-la no consumo das famílias.


Em um vídeo que repercutiu nas redes sociais, muitas pessoas utilizam ferramentas para escavar o lixão e recolher a carga. Imagens também mostram outros passando com sacos de frango.

O Hospital Regional de Humaitá emitiu um comunicado afirmando que iria ficar em alerta para um surto da infecção.

Ainda de acordo com informações, a vigilância sanitária de Humaitá emitiu nota alertando sobre alguns sintomas que podem ser causados pelo uso de frango impróprio para o consumo. Entre estes estão: náuseas, diarreia, dor de cabeça, febre, vômitos e outras infecções.



A ADAF afirmou que produtos de origem animal não podem ficar fora da temperatura adequada, por isso teme um surto de infeções.



Salmonela
    
Conhecida por ser a maior responsável por quadros de intoxicação alimentar, a salmonela (Salmonella enterica e Salmonella bongori) é um tipo de bactéria transmitida pela ingestão de alimentos crus ou mal cozidos contaminados por fezes. Ela é encontrada em diferentes alimentos e causa uma infecção bacteriana chamada salmonelos.


Presente nas fezes de indivíduos doentes e também de animais contaminados, a bactéria se espalha rapidamente quando as condições de higiene são precárias. O microrganismo geralmente contamina alimentos crus e a transmissão pode ocorrer pela ingestão de água ou de alimentos contaminados e, às vezes, pelo contato direto (mão-boca) com fezes, urina, secreção respiratória ou vômito de indivíduo infectado.


Essa bactéria pode contaminar alimentos crus, como frutas, vegetais, hortaliças e carnes, especialmente de aves, leite não pasteurizado e ovos. Geralmente, ela é associada a alimentos de origem animal, mas também pode ocorrer em verduras e legumes que tiveram contato com água contaminada ou adubados com material fecal contaminado.

*Com informações do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor

Nenhum comentário

Mais no Virtual Mamoré